Vamos ajudar a Menina com Câncer!

Eis o e-mail original como foi recebido, sem correções ortográficas ou adições.
” … Mensagem recebida em janeiro de 2002.
Amigos
Este e-mail veio do Grupo de Solidariedade do Hospital Albert Einstein. Implica no dispêndio de um pouco de tempo e não custara nem um centavo.
Tudo o que precisa e de um pouco de coração….
POR FAVOR, envie este e-mail para todos aqueles que conhece.
Este e o pedido de uma garotinha e brevemente deixara este mundo, pois ela tem sido vitima de uma terrível doença: o CÂNCER.
Obrigado pelo seu esforço. Esta não e somente “carta corrente” (corrente de solidariedade), mas uma escolha de salvar esta garotinha que esta morrendo de uma seria e fatal forma de câncer. Esta garotinha só tem mais 6 meses de vida e como seu ultimo desejo, ela (família) quer enviar uma “carta corrente” para dizer a todos que vivam plenamente as suas vidas, já que ela nunca terá oportunidade para o fazer. Ela nunca chegara ao baile de formatura, nunca se formara no segundo grau, nunca casara ou constituir uma família. Ao enviar este e-mail ao maior numero de pessoas possível, estará dando a ela e a sua família uma réstia de esperança, porque a Associação Americana Contra o Câncer doara, para o seu tratamento, 3 centavos para cada nome desta corrente.
Se, apenas uma pessoa conseguiu enviar este e-mail a outras 500 pessoas, então, eu sei que cada um de nos poderá enviar para, pelo menos, 5 ou 6 pessoas.
E, se somos tão egoístas que não possamos gastar 10-15 minutos escrevendo/digitando (ou copiando e colando e enviando este e-mail), então e porque somos nos as pessoas “doentes”. Pensem apenas que um dia poderão estar no lugar desta garotinha. Lembrem-se que o que precisam dar não e dinheiro, mas somente um pouco do seu tempo.
POR FAVOR, PASSEM ESTA MENSAGEM !!!

Dr. Dennis Shields
Professor Department of Developmental and Molecular Biology Albert Einstein College of Medicine of Yeshiva University 1300, Morris Park Avenue, Bronx, New York 1046
Phone 718-430-3306 (LC 9:24)
Porque, quem quiser salvar a sua vida sem mim, perde-la-a, mas quem sacrificar a sua vida por amor de mim, salva-la-a.
Gratos
…”
Estudo do caso.
A primeira linha do e-mail:
” Este e-mail veio do Grupo de Solidariedade do Hospital Albert Einstein. Implica no dispêndio de um pouco de tempo e não custara nem um centavo.”
Esse grupo de solidariedade não existe. Também a mensagem não de qual dos Hospitais Albet Einstein existe esse grupo. Há hospitais Albert Einstein em várias cidades, inclusive nos EUA. No site brasileiro do hospital você encontrará uma nota de esclarecimento da direção do hospital.
Próxima linha:
“”… Tudo o que precisa e de um pouco de coração….
POR FAVOR, envie este e-mail para todos aqueles que conhece …”

Na maioria das correntes que se espalham pela net, palavras como “tenha bom coração” ou “faça uma boa ação” são sempre usadas para deixar o leitor sensibilizado e, seguidas da frase que acompanham todos os e-mails desse tipo: “envie esse e-mail para todos aqueles que você conhece”. No mesmo texto você poderá verificar mais uma frase que é quase padrão.
Nas linhas seguintes, o e-mail torna-se meio confuso, confira alguns trechos:
“”…Este e o pedido de uma garotinha e brevemente deixara este mundo, pois ela tem sido vitima de uma terrível doença: o CÂNCER…mas uma escolha de salvar esta garotinha que esta morrendo de uma seria e fatal forma de câncer. Esta garotinha só tem mais 6 meses de vida e como seu ultimo desejo, ela (família) quer enviar uma “carta corrente” para dizer a todos que vivam plenamente as suas vidas,…Ela nunca chegara ao baile de formatura, … Ao enviar este e-mail ao maior numero de pessoas possível, estará dando a ela e a sua família uma réstia de esperança, porque a Associação Americana Contra o Câncer doara, para o seu tratamento, 3 centavos para cada nome desta corrente...”
Primeiro, o autor diz que a menina não tem chance de sobreviver. Logo no parágrafo seguinte, diz que se você mandar esse e-mail para tantas pessoas, ela receberá 3 centavos para cada e-mail enviado. Aí vem a pergunta: a criança tem chance de sobreviver ou não?
Câncer em criança geralmente existe em dois tipos: morre rápido ou se cura rápido.
A garotinha só tem 6 meses de vida. Provavelmente a essa hora já deve ter se curado.
Na mensagem, o autor fala de um tipo sério de câncer, mas não fala qual. Numa outra variante dessa corrente o da Raquel Arlington, o outro autor foi mais específico, dizendo que o tipo de câncer da garota é cerebral.
O e-mail fala da garotinha quatro vezes se refere a “ela” mais uma 10 vezes mas não fala seu nome, o nome de seus pais, ou em qual hospital está internada.
A “Associação Americana Contra o Câncer” existe mesmo! Por isso e esse tipo de e-mail dá trabalho para ser desmentido.
Ninguém pode saber para quantas pessoas uma determinada mensagem foi enviada. Eu nunca ficarei sabendo se foram 4 ou 1000 pessoas que receberão uma mensagem que eu mandar. Se isso fosse possível, depois que a “campanha” acabasse, eu e você iríamos receber um e-mail de agradecimento e isso não acontece nunca!
Sempre você receberá e-mails dizendo para repassarem essas mensagens para o maior número de pessoas, e depois, a empresa Tal irá contar por quantos e-mails a mensagem foi passada.
Mais uma observação: uma família com uma criança doente em casa ficaria preocupada em mandar e-mail para o Albert Einstein, que então iria passar para um monte de gente?
Porque a “Associação Americana Contra o Câncer” iria se preocupar com uma só criança?
Olhem essa linha da mensagem:
Professor Department of Developmental and Molecular Biology Albert Einstein College of Medicine of Yeshiva University
Esse colégio não existe.
Morris Park Avenue, Bronx, New York 1046

Os endereços de rua nos estados unidos é dado em números, não em nome. Eles existem, mas são apenas nomes.
E o telefone: 718-430-3306 tem 10 números e nenhum é DDI ou DDD. No site da Embratel a pesquisa do código de DDI para Estados Unidos e para a cidade de Nova York os resultados são.
Código do País:
ESTADOS UNIDOS…………….1
Códigos de Área de Cidades:
NEW YORK CITY…………. NY 646.
NEW YORK CITY…………. NY 212.
Como surgiu essa história:
É bastante provável que ele seja uma variante de uma história real de um garoto inglês chamado Craig Shergold. Em 1989, Craig foi diagnosticado com câncer e, na época com 9 anos de idade pediu para que as pessoas lhe enviassem cartões de agradecimento para que ele consiguisse entrar para o Guiness Book como a pessoa que mais recebeu cartões no mundo! A sua idéia deu certo em partes, pois até 1991, ele já tinha recebido mais de 33 milhões de cartões. Porem, apesar do garoto superar o recorde anterior, o site do livro de recordes não contém e nem menciona nada a respeito de Craig Shergold como a “pessoa que mais recebeu cartões de lembrança no mundo”.
Os médicos removeram o tumor de Craig que se tornou um adulto saudável. Porém, seu pedido por cartões se transformou numa lenda na internet e, até hoje as pessoas continuam repassando essa corrente.
Uma delas traz uma garota com queimaduras supostamente adquiridas num incêndio no WalMart e alega que a America OnLine vai custear os gastos médicos somente se “você enviar este e-mail para TODOS QUE VOCÊ CONHEÇA”.
Há também outras variantes desse e-mail. Inclusive uma versão em PPS mais elaborada e com fotos bem mais chocantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *