Serpentário o novo sígno.

O horóspoco é um questão polêmica, existe quem diga que se trasta de uma bobagem e exista quem leve muita à sério. Tanto que há empresários americanos, que tomam decisões em suas empresas baseando-se no que dizem os horóscopos. Tanto que o site da revista americana Inc. possui uma seção de horóscopo só para empreendedores!
Não cabe a nós discutir-mos a crença de cada um. Estamos pesquisando aqui se a NOTÍCIA é verdadeira ou falsa!
Essa história da existência de mais um signo começou a circular na primeira quinzena de janeiro de 2011. Jornais de língua inglesa, como o The Huffington Post e o Time NewsFeed publicaram uma notícia afirmando que “…astrônomos do Planetário de Minnesota, nos Estados Unidos, descobriram que, por causa da atração gravitacional que a Lua exerce sobre a Terra, o alinhamento das estrelas foi empurrado por cerca de um mês.”
Com essa notícia estrasnha, surgiu também a história de que, como o alinhamento das estrelas mudou, os signos também teriam que mudar! Para isso, viu-se a necessidade de se criar um novo signo – o Serpentário – e ele se encaixaria entre os signos de Escorpião e Sagitário.
Acontece que a notícia não é de toda falsa. Na verdade, a afirmação não foi bem essa!
De acordo com o TechnoLog, a notícia originou de um artigo postado no dia 10 de janeiro pelo Star-Tribune e, logo em seguida, a NBC KARE deu uma modificada no texto.
No artigo original do Star-Tribune, foi citado apenas o astrônomo Parke Kunkle, um membro do conselho de administração da sociedade de astrônomos de Minnesota. Segundo o texto, Parke observou que milhares de anos de atração gravitacional da lua tem tirado a Terra do seu eixo, o que significa que as estrelas que vemos hoje não são as mesmas que as estrelas como os babilônios as viram.
“Quando (os astrólogos) dizem que o Sol está em Peixes, não está realmente em Peixes”, disse Kunkle ao Star-Tribune.
Já, na notícia postada pelo Time NewsFeed e pelo The Huffington Post o trecho do texto aparece como:
“…Os astrônomos do Planetário de Minnesota descobriram que por causa da atração gravitacional da Lua sobre a Terra, o alinhamento das estrelas foi empurrado por cerca de um mês.”
No site do Planetário de Minnesota há um link apontado para a reportagem “correta” e não há nenhuma menção ao novo zodíaco!
O fato é que a notícia original mostrava apenas a opinião de apenas um astrônomo enquanto que os demais jornais citados acima davam a notícia como sendo afirmada por vários astrônomos.
Essa pequena alteração no texto já foi o suficiente para desencadear uma série de notícias desencontradas sobre a suposta criação do novo signo e às mudanças dos signos.
Mais o meu signo muda?
Nada muda! O seu signo continua o mesmo!
O site especializado em astrologia, Planet Waves, explica que há 2 tipos de zodíacos: o chamado “Zodíaco Sideral” e o “Zodíaco Trópico”.
Em entrevista ao portal IG, o vice-presidente do Sindicato dos Astrólogos do Estado de São Paulo, Amauri Magagna, afirma: “Este ‘novo zodíaco’ que o astrônomo propõe não tem nada de novo. Ele é chamado pelos astrólogos de ‘zodíaco sideral’ e se baseia nas constelações e na precessão dos equinócios. O zodíaco que usamos é o ‘zodíaco trópico’, e se baseia, astronomicamente falando, nos pontos em que a trajetória do Sol cruza a linha do equador ou, falando de outra forma, se baseia nas estações do ano, onde o início da Primavera no hemisfério norte (Outono no hemisfério sul) corresponde ao início de Áries”.
E ainda, Antonio Facciollo Neto, presidente do Sindicato dos Astrólogos do Estado de São Paulo, comenta na mesma matéria do IG.
“A noção que a astrologia tem de zodíaco não tem nada a ver com a que a astronomia tem. O zodíaco da astrologia tem a ver com o ciclo vital. Começamos sempre a contagem no começo da primavera do hemisfério norte”.
Em outra entrevista feita pelo International Businnes Times o astrólogo Eric Francisco afirma que essa é uma velha polêmica entre astrólogos e astrônomos. “Este é um hoax antigo. Historicamente, Ophiuchus nunca foi listada como uma constelação do zodíaco sideral. “
Para quem quiser saber mais sobre astrologia, recomendamos esse texto de Marcelo Deldebbio.
Fonte : e-farsas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *