Sereias existem ?

Uma dúvida que intriga a humanidade e vem desde a antiguidade é a tradicional pergunta, sereias existem ? Esse questionamento resurgiu nos dias atuais devido a algumas fotos que circularam na internet, com algumas imagens supostamente convicentes.
A história envolve sereias e seus parentes, chamados de sereianos. História originária por volta de 5.000 a.C. Os primeiros sereianos eram considerados deuses pela cultura pagã das civilizações antigas.
De acordo com antigos relatos, os babilônios teriam começado a adorar estes seres lendários neste período. Segundo a lenda, os babilônios receberam destes seres os conhecimentos sobre artes e ciências.
as antigas ledas de sereias, no sparesentam uma mulher sentada numa pedra, de longos cabelos que atrai os marinheiros com seu canto hipinotizante, uma das histórias mais famosas é de Ulysses.

Varias teorias tentaram explicar a obsessão da sereia com seus cabelos. Alguns dizem que um artista anônimo, copiando uma imagem já deteriorada pelo tempo, cometeu alguns erros e todos os artistas copiaram esse mesmo erro. Segundo essa teoria, seu “pente” teria sido, originalmente, um plectro (espécie de palheta usada para tocar instrumentos de corda), enquanto o “espelho” seria o próprio instrumento, provavelmente uma lira. Outra explicação sugere que o espelho e o pente simbolizam a vaidade e a beleza feminina, características que, acreditava-se, levam o homem à ruina.
Apesar dessa crença nos sereianos existir há muitos séculos, esses seres nunca foram encontradas, até que esperanças foram acessas, quando começou a circular na Internet algumas fotografias de criaturas muito semelhante a sereias, que foram encontradas em diversas situações.
Então, como os boatos e as fotos eram muitas, surgiram vários casos espalhados pelo planeta.
Primeiro caso – A Sereia de Manaus
Tratava-se de uma suposta sereia que teria aparecido na Amazônia. Segundo um pescador da região, ela foi vista saindo da água e tentando segurar o barco onde ele estava. Com medo, o pescador relatou que bateu na sereia com o remo e a trouxe para a terra firme, onde a criatura havia morrido.Estudos na foto mostraram que não havia montagens e elas eram realmente reais. Porêm essa criatura trata-se de uma escultura criadas pelo artísta plástico Juan Cabanas, que cria monstros marinhos com restos de peixes que ele compra no mercado. A história completa você poderá conferir clicando aqui.
Segundo caso– A Sereia do Taiti
Segundo um e-mail que circula na internet uma suposta criatura, semelhante a sereia teria sido encontrada numa praia do Taiti, por pescadores, a mais ou menos 500 metros da orla. Foi notícia no país inteiro! Realmente é muito difícil de acreditar que foi descoberto uma peça de tão grande valor científico e nada se falou a respeito na TV ou nos jornais. Mesmo assim, depois de tantos anos, essa múmia de sereia ainda está com os cabelos intactos?
Segundo a Wikipedia a Polinésia Francesa é conhecida pelo nome de Taiti, embora Taiti seja apenas a maior de um grupo de 118 ilhas, divididas em cinco arquipélagos no Pacífico Sul, fica longe de tudo. Os arquipélagos da Polinésia estão espalhados numa área de medida equivalente ao tamanho da Europa. A Polinésia é uma espécie de cordilheira submersa, de origem vulcânica, da qual só se vêem os picos. Os e-mail e relatos desse achado não dizem sem qual das ilhas foi achada essa sereia.
As fontes eletrônicas dessa notícia são de Blogs e sites que reproduziram esse mesmo e-mail. Nenhuma organização séria noticiou esse fato.
Uma explicação encontrada foi que essa sereia pertenceu ao colecionador P. T. Barnum e que passou para o acervo de Robert L. Ripley, criador dos desenhos e documentários Beleive it, or not (“Acredite se quiser”). Pelo menos sete “sereias” do gênero, provenientes das Ilhas Fiji, estão em exposição somente nos EUA. Robert L. Ripley mostra a “sereia” que era uma das peças preferidas de sua imensa coleção de curiosidades e “esquisitices”.
Numa outra página, a Ufo Gênesis, explica o fato como a sereia sendo na verdade a junção da parte superior de um macaco e da parte inferior empalhada de um enorme peixe.
O site Museu dos Hoaxes conta que essas “sereias” foram feitas em 1842 nas ilhas Fiji, no Japão e foram trazidas para os Estados Unidos pelo Show Man e empresário P. T. Barnum.
A bografia de P. T. Barnum, diz que ele foi um homem de visão e dono de um famoso circo chamado Barnum & Bailey. Nesse circo, vária aberrações da natureza viravam atrações tais como: a Mulher Barbada e o Menor Anão do Mundo.
Algumas dessas bonecas foram vendidas para o colecionador Robert L. Ripley, criador daquele programa antigo “Acredite se Quiser”, com o Jack Pallance.
Ripley fundou vários museus nos Estados Unidos e México onde são expostos uma enorme quantidade de múmias, sereia, fotos e outras bizarrices.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *