QUIROMANCIA – TEU DESTINO NA PALMA DA TUA MÃO

 estudo das linhas das mãos existe desde a mais remota antiguidade. Sempre baseado na observação dos fatos, em experiências. Nasceu na Ásia, como ciência. Chamava-se então quiromancia. Era mais uma adivinhação do que futuro pelo exame da palma da mão do que uma filosofia. De concreto, só se sabia que as papilas digitais diferiam de pessoa para pessoa. Por isso, aqueles que assinar não sabia, firmavam seus documentos com o polegar. E a datiloscopia é usada até hoje por todos os povos. Da mesma forma, as linhas da mão são dispostas de maneira diferente, não havendo coincidência, nem sequer, nas duas mãos de uma mesma pessoa.
De posse destas descobertas, a quiromancia saiu pelo mundo em busca de novas teorias. Viajou bastante. Esteve na Grécia, conheceu Roma e seu esplendor. Cresceu em sabedoria, deixou de ser uma simples adivinhação. Mudou de nome, passou a ser quirosofia, estudo sério das linhas da mão. Para um quirósofo a leitura é
como um filme, já revelado. O passado e o futuro deixam de ser um segredo. Os sulcos da mão são os negativos da alma, do caráter, dos sentimentos mais íntimos de cada um. O quirósofo apenas revela o filme.

As suas mãos, com seus milhões de sinais, sabem tudo sobre você. Seus pensamentos, tristezas e alegrias, as esperanças. Todos os sonhos e frustrações. O seu caráter. Dele depende o seu futuro e é ele que forma, aos poucos, as suas mãos.
Assim como os traços fisionômicos, os sinais mudam com a idade, as emoções, os sofrimentos. Alguns deixam marcas indeléveis, outros parecem desaparecer com o tempo. Vão sendo substituídos por outros, diferentes. Tor- nam-se invisíveis, ficam escondidos nas dobras pequeninas dos que os sucedem.
E de repente, você cerra o punho, contrai a.ponta do dedo, estica um músculo qualquer. Tudo inconscientemente. São gestos pequenos, sem muita importância, que se multiplicam. Acentuam e alteram as linhas da sua mão. O cérebro pensa, as mãos vão agindo. O pensamento se oculta nas palavras mas se trai na ação. A mão registra este mesmo pensamento, sem disfarce, como ele é.

Estudos pormenorizados revelaram que cada emoção ou pensamentos produz contrações musculares na palma da mão. Esqueceu o nome de um livro? Sim, aquele mesmo que terminou de ler ontem. E enquanto tenta se lembrar, bate com a palma da mão na testa, como se pudesse escutar ou receber alguma comunicação interior. Este gesto inconsciente e aparentemente isolado, sem maiores conseqüências, indica a grande atuação das mãos sobre o seu cérebro. E, ao mesmo tempo, modifica, acentua ou faz surgir um novo sinal. Diferente, especial.

Tidas as mãos possuem três tipos de sinais. As linhas básicas, de lentas  transformações, percebidas apenas ao fim de cada sete anos, na mulher e de nove, no homem.

Outros, entretanto, aparecem e desaparecem de sete em sete meses, na mulher e de nove em nove, no homem. E, finalmente, o terceiro tipo. Aparecem e desaparecem em uma, sete, nove semanas ou meses. Por exemplo, as manchas brancas e pretas da sua mão ou os pontos fundos e côncavos das suas unhas.
Assim, cada vez que você muda seu modo de pensar e de sentir, sua vida profissional e afetiva, mudam também as suas mãos.
Os sinais podem ser de três tipos: comuns, simples ou positivos.
Comuns — são os mais conhecidos. — Aparecem em quase Vicias as mãos. Não tem mais segredos para ninguém.
Simples — sempre estão sozinhos. — Não se misturam com ninguém, são fáceis de reconhecer.
Positivos — de vários sentidos, ao mesmo tempo. —Um sempre, importante e de valor fixo, e o valor dos restantes dependendo dos outros, à sua volta.

Todos eles oferecem numerosas variantes. De acordo com a zona em que se encontram, cor, ligação ou vizinhança com outros sinais, podem também mudar o seu sentido. Portanto, não se arrisque, não tire conclusões precipitadas. Estude bem antes, todos os pormenores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *