Porta Chave Oratório em MDF

COMPRE O EXCLUSIVO PORTA CHAVE EM FORMA DE ORATÓRIO

Decore a parece de sua casa com a temática religiosa e organize suas chaves com o exclusivo porta chaves em formato de oratório, feito em MDF, com a imagem de Nossa Senhora Aparecido em gesso. Por ter motivo religioso essa peça pode ser utilizada como porta escapulários, ou porta rosários, dependendo da necessidade.

SOBRE A DEVOÇÃO A NOSSA SENHORA APARECIDA

Nossa Senhora de Aparecida, popularmente conhecida como Nossa Senhora de Aparecida, é a padroeira do Brasil. Venerado na Igreja Católica. Nossa Senhora de Aparecida é representada por uma pequena imagem da Virgem Maria terra cotta está atualmente hospedado na Basílica de Nossa Senhora de Aparecida, na cidade de Aparecida, em São Paulo.
Sua festa é celebrada no dia 12 de outubro, feriado nacional no Brasil desde 1980, quando o Papa João Paulo II consagrou a basílica, que é o quarto santuário mariano mais visitado do mundo, capaz de acomodar até 45 mil fiéis.

Há duas fontes na descoberta da imagem encontrada no Arquivo da Curia Metropolitana de Aparecida (antes de 1743), e no Arquivo de Jesus, da Companhia em Roma: a história registrada pelos sacerdotes José Alves Vilela, em 1743 , E João moral e Aguiar, em 1757, cujos documentos se encontram no primeiro livro de Tombo em San Antonio da Paróquia de Guaratinguetá.
Segundo relatos, a imagem apareceu na segunda quinzena de outubro de 1717, quando Pedro Miguel Almeida Portugal e Vasconcelos, conde de Assumar e governador da capitania de São Paulo e Minas de Ouro, passando pela cidade de Guaratinguetá, vale de Paraíba, durante uma viagem a Villa Rica.

O povo de Guaratinguetá decidiu realizar uma festa em homenagem à presença de D. Pedro de Almeida e, embora não seja época de pesca, os pescadores lançaram seus barcos no rio Paraíba com a intenção de oferecer aos peixes para contar. Domingo García pescadores, Filipe Pedroso e João Alves estavam rezando à Virgem Maria e pediu a ajuda de Deus. Depois de várias tentativas fracassadas, desceram o curso do rio até chegarem ao porto de Itaguaçu. Eles já estavam para deixar a pesca quando João Alves jogou sua rede novamente, em vez de peixe, ele pegou o corpo de uma imagem da Virgem Maria sem a cabeça. O lançamento da rede novamente, e tomou a cabeça da imagem, que foi embrulhado em um lenço. Depois de terem recuperado as duas partes da imagem, a figura da Virgem de Aparecida teria sido tão pesada que não poderiam movê-la. A partir desse momento, os três pescadores capturaram tantos peixes que foram obrigados a retornar ao porto, porque o volume da pesca ameaçava afundar os barcos. Esta foi a primeira intercessão atribuída ao santo.

Durante os próximos quinze anos a imagem permaneceu na residência Filipe Pedroso, onde pessoas do bairro se reuniram para rezar. A devoção estava crescendo entre os povos da região, e muitos agradecimentos foram feitos por aqueles que oravam antes do santo. A fama de seus supostos poderes foi a disseminação de todas as regiões do Brasil. Várias vezes as pessoas naquela noite fizeram suas orações, ela viu as luzes de repente, e depois de um pouco de um ressurgimento sem qualquer intervenção humana. Logo, já não eram apenas os pescadores que iam orar, mas também muitas outras pessoas do bairro. A família construiu uma capela no Porto de Itaguaçu, que logo se tornou muito pequena para abrigar tantos fiéis.
Assim, por volta de 1734, o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela em Coqueiros no alto da colina, aberta ao público em 26 de julho de 1745. A capela foi construída com a ajuda do filho Filipe Pedroso, que não aprovou o local Escolhido porque se sentia que era mais conveniente para a região perto da cidade fiel.

Há relatos não confirmados de que o 20 de abril de 1822, viajando pelo vale da Paraíba, então príncipe regente do Brasil, dom Pedro I e sua comitiva visitaram a capela, e conheci a imagem de Nossa Senhora de Aparecida.

O número de crentes continuou a crescer e em 1834 começou a construção de uma igreja maior (agora Basílica Antiga), e solenemente inaugurado e abençoado em 8 de dezembro de 1888.
Em 6 de novembro de 1888, a princesa Isabel visitou pela segunda vez na basílica e ofereceu ao santo, mediante o pagamento de uma promessa (feita em sua primeira visita, em 8 de dezembro de 1868), uma coroa de ouro repleta de diamantes e rubis Juntamente com um manto azul, ricamente decorado.

No dia 28 de outubro de 1894, que chegou a Aparecida, um grupo de sacerdotes e irmãos da Congregação dos Redentoristas, para trabalhar ao serviço dos peregrinos que se reuniram aos pés da imagem, rezar à água “Apareceu” Senhora.

No dia 8 de setembro de 1904, a imagem foi coroada com a rica coroa doada pela princesa Isabel e vestida de túnica índigo, bordada em ouro e jóias, símbolos de sua realeza e padrão. A solene celebração foi liderada por José de Camargo Barros, com a presença do Núncio Apostólico, de muitos bispos, do presidente da República, de Rodrigues Alves e do povo. Depois da coroação o Papa deu ao santuário de Aparecida, os outros favores mais: Fabricação e adequada massa de Nossa Senhora de Aparecida, e indulgências aos peregrinos que vêm em peregrinação ao santuário.

Em 29 de abril de 1908, a igreja recebeu o título de basílica menor, sagrado ao 5 de setembro de 1909, e receber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *