Os Sidhe Élficos e os Bean-Sidhe

Os tuatha de Danann ou sidhe eram uma raça divina que conquistou os fomors, as potências da escuridão, e seus ajudantes, os fir bolgs, na Irlanda.

Por sua vez foram conquistados pelo povo gaélico e pelos romanos. Seus corpos físicos fora destrídos e se tornaram seres espirituais, fazendo das colinas ocas seu lar.

Wights são os espíritos tutelares e guardiões da terra, eles vivem em antigos túmulos e colinas funerárias,a ssim como em arvores e cachoeiras sagradas. A bean-sidhe é o fantasma de um ancestral ou espírito doméstico que fica tão ligado a uma família em particular, que grita de dor na morte iminente de um de seus membros, Seu grito pode congelar o sangue.

Pontas de flexas da idade da pedra ou do neolítico aparecem em jardins depois das chuvas, nos países celtas elas são chamadas de tiros de elfo ou flexa de fadas. Quando o gado é atingido por doenças desconhecidas, diz-se que ele foi ferido por uma dessas flexas.

Acredita-se que com a chegada dos milesianos da Espanha, muito dos tuaha foram para a América do Norte, seus navios brancos tinham velas de couro fino e na proa havia uma cabeça de cisne. Eles ainda são lembrados nas lendas dos povos indígenas da América, onde se relata de um povo que chegou em grandes pássaros brancos.

Júlio César encontrou toda a frota dos tuatha de Danann no Canal da Mancha e 50 a.C. Sem vento a favor, as velas de cristal não poderam fugir e sob o comando de Brutus, as galeras romanas abordaram a frota e a afundaram.

Essa batalha é relatada no terceiro livro das guerras da Gália, de Júlio Cesar. Após a destruição desses navios, acreditasse que nenhuma embarcação tenha cruzado o Oceano Atlântico até o ano de 1542 com Colombo.

Se o povo élfico tivesse vencido essa batalha a história teria mudado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *