O disco voador de Agudos

Um vídeo mostra o momento em que um  OVNI surge nas nuvens de um bairro de Agudos, São Paulo.

Um cinegrafista amador filmam o momento em que o Disco Voador surge, gira, emite luzes numa explosão e começa a cair.

Verdade ou mentira.

No dia 24 de fevereiro de 2011, o Auxiliar Administrativo Henrique Barduco, residente em Lençóis Paulista, região de Bauru, publicou o vídeo abaixo.

Nele pode-se ver um estranho objeto sobrevoando os céus entre algum ponto da Rodovia Marechal Rondon (SP-300) perto de Agudos, na região de Bauru – São Paulo.

O cinegrafista do vídeo, não consegue esconder seu espanto ao filmar o estranho objeto atrás das nuvens.

Depois de 1 minuto e 38 segundos, o UFO solta um clarão e começa a cair em direção ao chão.

Esse vídeo foi um dos mais vistos naquele dia.

Em entrevista à TV TEM, Henrique explica que recebeu a gravação das imagens de um amigo, cujo nome mantém sob sigilo. “E esse meu amigo recebeu as imagens de uma outra pessoa por e-mail, que não sabemos quem é”, diz ele.

Afirmando que a decisão de postar o vídeo no Youtube foi com a intenção de que as pessoas opinassem se o filme era verdadeiro ou não.

“Mas sinceramente, acho que não é. A maioria está opinando que é montagem, que é falso”,

conclui Henrique, que  não sabe dizer quando a imagem teria sido gravada.

Mas, será que o vídeo é real?

Infelizmente, para os crédulos, o vídeo é falso.

O vídeo trata-se de uma campanha publicitária de uma empresa de embalagens.

A empresa responsável pela campanha fica em Lençóis Paulista e se chama Atitude Media Box.

O motivo é a comercialização de embalagens de pizza – a cliente da campanha que causou todo o alvoroço – e, simultaneamente, o ramo publicitário, uma vez que tais caixas trazem campanhas de marketing de diferentes produtos.

Os protagonistas do vídeo, que antes eram somente duas vozes masculinas, ganharam rostos. O “cinegrafista” é o designer 3D e editor de vídeo André Angélico.

Já o “motorista”, que no vídeo é chamado de “medroso” pela pressa em ir embora, é o criador de layout Jônata Evangelista.

“Nossa intenção era fazer uma campanha viral. Não podemos revelar muito sobre qual seria a linha que seguiria, porém, seria algo falando da expansão da marca e de como ela chegou para ficar”, aponta André Angélico.

Entretanto, segundo os autores, o vídeo ainda não estava pronto, o que justifica a ausência total de qualquer item que aponte à marca das embalagens de pizza. “Havia umas cinco ou seis pessoas que sabiam da nossa campanha e do que estávamos fazendo. Como lançaríamos isso regionalmente, não queríamos que as pessoas nos reconhecessem, justamente para não diminuir o efeito de realidade que queríamos passar”, afirma André.

Pelo mesmo motivo de evitar qualquer reconhecimento, apesar de a empresa ser lençoense, o local escolhido para as filmagens foi Agudos. “Queríamos disfarçar ao máximo que fomos nós que fizemos o vídeo. Por isso, não fizemos em Lençóis. Queríamos evitar que alguém reconhecesse a voz ou outro detalhe”, aponta André.

O tom casual também foi proposital para dar esse efeito de veracidade, o que funcionou bem, visto que muitas pessoas ficaram impressionadas com o vídeo. “Utilizamos uma câmera de qualidade e resolução mediana.

A imagem de gravação era melhor do que essa que vocês viram. Mas nós pioramos a qualidade justamente para dar esse ar de informal, de casual”, completa.

Verdadeiro o vídeo não é. Contudo, certamente o objetivo da campanha foi atingido. “Não imaginávamos essa repercussão toda. Era para ser algo local ou regional e acabou virando uma história nacional”, conclui o design, editor de vídeo e agora “ator” André Angélico.

Não foi somente na imprensa local que o vídeo misterioso repercutiu. Além de jornais e emissoras de televisão e rádio do Interior, o fato ganhou destaque em veículos de comunicação de abrangência nacional.

Veja abaixo algumas reportagens sobre o viral:

Somente no site da 94FM, foram mais de 80 comentários (e continuam participando), não contando todas as participações pelas redes sociais.

Os portais virtuais UOL e G1 trouxeram o vídeo e ainda relacionaram com a história do tremor.

A gravação foi destaque no programa  Fantástico, no quadro Detetive Virtual. Na ocasião, foi confirmado o que muitos sites e estudiosos já haviam divulgado: a presença de edição gráfica nas filmagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *