Necromancia, os mortos e os não mortos

Outra forma de magia negra é a necromancia, na qual os espíritos dos mortos são conjugados para consulta, Isso acontece durante uma sessão, na qual o médium entra em transe convocado e permitindo que os espíritos habitem seu corpo e falem por meio de sua boca. Isso é feito principalmente por pedido de um parente vivo que deseja questionar a alma desencarnada sobre algum assunto importante, ou ainda para ter certeza de que ele está bem

O termo necromancia muitas vezes s prefere ao uso dos mortos para as finalidades de próprio mago, sem necessariamente pedir a permissão dos desencarnados altamente antiéticos, e são portanto, partes negras.

É interessante notar que a palavra grega nekros foi confundida pelos ignorantes, no passado, com a palavra latina nigro e, em inglês medieval, a  palavra nigromante era usada para indicar uma pessoa versada nas artes negras. Algumas vezes ainda é possível encontrar a palavra necromancer usada erroneamente com esse significado.

Fantasmas

Os fantasmas são considerados diferentes dos outros espíritos, porque são seres vivos que morreram, mas que ainda existem como entidades desencarnadas no plano astral. Podem ser vistos por cães, gatos e pessoas com sensibilidade psíquica especial ou treinadas; ver fantasmas é parecido como ver as auras, É mais comum ouvir ou sentir como uma presença invisível arrepiante que faz os pelos da nuca ou braço levantarem.

Há diversas categorias categorias de fantasmas. Alguns são almas das pessoas que morreram repentinamente, em um acidente ou assassinato, e então presas entre esti mundo e o outro lado. Alguns, chamados de espectros ou aparições, podem ser de alguém que acaba de morrer e está se despedindo antes de partir para o lado de lá. Alguns espíritos desencarnados, como ancestrais, genitores e outros membros da família, podem assumir o papel de guias espirituais, protetores e anjos da guarda daqueles que eram seus próximos em vida. Os espíritos de animais também podem aparecer como fantasmas. E os fantasmas podem aparecer no sonho, assim como na vigília.

Alguns fantasmas não são nem mesmo espíritos conscientes, mas são mais como uma impressão psíquica ou um registro de algum evento traumático, como uma morte violenta, que simplesmente ainda é repetida muitas e muitas vezes no local em que aconteceu. Isso se chama assombração, e elas podem envolver até mesmo seres completamente imaginários, como personagens poderosos criados por um romancista, Durante as décadas de 1930 e 1940, o jornalista Walter B. Gibson, usando o pseudônimo de Maxwell Grant, escreveu 282 romances sobre um misterioso vingador mascarado conhecido como o sombra.

Também existe os poltergeist, que fazem sons estranhos e batidas à noite, atiradas coisas, criam bagunça ou até mesmo causam ferimentos. Não são de fato fantasmas, no sentido de serem os espíritos de pessoas mortais; os verdadeiros fantasmas espirituais não podem afetar o mundo físico de forma alguma, O poltergeist é uma manifestação psicocinética normalmente causada por uma pessoa viva que passou por algum trauma severo, principalmente em relação à sexualidade.

Vampiros

Vampiros são não mortos sem alma, que não têm vida própria e se sustentam sugando a essência vital dos verdadeiros viventes. Eles são essencialmente de dois tipos, aqueles que chupam o sangue e aqueles que sugam a alma. As vítimas de vampiros gradualmente perdem energia, decaem e definham. Embora os vampiros sejam basicamente solitários, algumas vezes, nas cidades grandes podem frequentar certos locais de encontro.

Os vampiros são criaturas da noite que fogem da luz do sol, que queima sua pele. Como não têm alma, eles não podem ver o seu reflexo no espelho. Não podem entrar em sua casa a menos que você os convide, e são repelidos por símbolos sagrados e alho cru. Morrem se você fincar uma estaca de madeira em seu coração, e ao contrário do mito popular, os vampiros verdadeiros são muito frágeis e fracos, e não podem se transformar em morcegos.

Os vampiros sugadores de sangue são figuras populares em literatura, filmes e programas de TV e fazem parte do folclore há milênios. Antigamente, as pessoas que caiam em uma paralisia cataléptica ou em coma eram muitas vezes declaradas mortas ou enterradas. Muitas vezes acordavam de seu caixão com uma severa doença mental e saíam de sua cripta vagando pela noite sugando o sangue dos vivos e voltando de dia para dormir.

Em 1975, o doutor David Dolphim, bioquímico da Universidade da Colúmbia Britânica, propôs que os vampiros sofriam de uma doença genética chamada de porfiaria.

A hidrofobia também também foi sugerida como um fator no vampirismo, A doença é transmitida pela mordida e entre os sintomas estão insônia e uma aversão a espelhos e a cheiros fortes.

Há poucos vampiros sugadores de sangue hoje em dia, eles compram sangue em banco de sangues ou de voluntários, atacam mendigos.

Os vampiros psíquicos são muito mais comuns e menos facilmente reconhecidos, muitas vezes são reconhecidos tarde demais. Essas criaturas desalmadas são muito carentes e grudam em você como sanguessuga, sugando sua alma e drenando sua vitalidade com exigências infinitas. Eles são neuróticos ou viciados incuráveis.

Zumbis

Os zumbis também são chamados de mortos-vivos. A palavra vem do congolês nzambi. Na maioria confinados às ilhas caribenhas do Haiti, são pessoas que morreram e cujos corpos foram exumados do túmulo e reanimados, transformados em escravos sem alma de malignos bokors.

Os zumbis sao criados pela administração de uma poderosa droga venenosa que induz a paralisia total e um estado de morte aparente. Depois que a vítima ;e enterrada, o bokor a desenterra e lhe dá outra convocação, que causa confusão e alucinações, Depois de dar ao zumbiu novo nome, o bokor o põe para trabalhar, Os zumbis precisam de pouco alimento, mas podem se recuperar se comerem sal.

A fórmula para a droga zumbi da morte foi determinada pelo etnobotânico de Havard Wade Davis em 1982. Em meio a uma longa lista de ingredientes nocivos e venenosos, o elemento essencial é o baiacu, que contém o veneno marota tetrodoxina; uma única gota pode levar a morte.

Mas há muito mais no processo de zumbi que as poções. O boor também captura a lama da vítima, guardando-a em uma garrafa, Dessa forma, ele comanda não apenas o corpo físico, mais também o corpo astral.

Lobisomens

Os lobisomens também são filhos da noite. Um lobisomem parece uma pessoa normal durante o dia, mas à noite e especialmente durante a lua cheia, ele se torna um animal selvagem. Na manhã do dia seguinte não lembra de nada. Seus pontos francos são a valaparina e a prata.

Os lobisomens sofrem de uma doença psíquica reconhecida chamada de licantropia. O paciente tem uma personalidade dividida, da qual uma das fazes é a fera humana. A fase mais conhecida é o lobo, mas também existe a fase do urso, leopardo, gato  outros predadores. Essa mudança ocorre na lua cheia.

Com a licantropia surge outra doença congênita chamada hipertricose, na qual uma camada de longos pelos cresce em todo o corpo e no rosto da pessoa como animais. Algumas dessas pessoas ficaram famosas em circos conhecidas como homens macacos, cara de cão e lobisomens. Em 1984, essa condição foi totalmente descrita em uma família mexicana por José Maria Cantu da Universidade de Guadalajara, mais o gene ainda não foi totalmente isolado.

Dizem que um pessoa com as sobrancelhas unidas, os dois dedos do meio com o mesmo comprimento, palmas das mãos cabeludas ou olhos amarelos pode ser lobisomens. Os cães e gatos podem reconhece-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *