Gerald Brousseau Gardner (1884-1964)

Nascido emuma rica família da Inglaterra, Gerald Gardner dizia ter várias bruxas em sua árvore genealógica. Em 1906, ele foi para o Ceilão como cadete em uma plantação de chá, lá, em 1909, foi iniciado na maçonaria.

Em 1912, mudou-se para a Malaia para plantar seringueiras. Quando o preço da borracha caiu, em 1923, entrou para o serviço de alfândega e taxas da Malaia. Ali fez amizade com os Dayaks do Mar, uma tribo malaia com quem aprendeu sua magia popular.

De volta à Inglaterra em 1936, reformado do serviço militar, Gerald Gardner e sua esposa Donna se estabeleceram na região de New Forest em 1939. Ali entrou para um grupo de ocultísmo chamado de Crotona, uma loja maconica mista, com três grupos mágicos associados, que são, a reconstrução rosacruciana, a teosofia e a bruxaria, de acordo com as idéias de Margaret Murray.

Alguns dos membros se diziam serem bruxos naturais, e Elsie Woodford, sua sacedortisa o iniciou  em 1939, tornando-se sua parceira de magia pelos 15 anos seguintes.

Em 1946, ele conheceu Cecil Williamson, fundador do centro de pesquisa em bruxaria e do museu da bruxaria. Um ano depois, Arnold Crowther o apresentou a Aleister Crowley. A partir dos materiais sugeridos por Crowley, elementos fragmentados do conciliábulo de New forest, a Aradia de Leland e suas próprias coleções, Gerald Gardner compilou seu livro das sombras. Grande parte dele foi publicado como ficção em um romance, chamado High Magic`s Aide (1949).

Depois que a lei anti bruxaria da grã Bretanha foi revogada em 1951, Gerald Gardner comprou o museu de Willianson e em 1953 iniciou Doreen Valiente, que reescreveu seu livro das sombras, dando ênfase à deusa, dessa colaboraçào nasceu a tradição garderiana. Em 1954, Gerald Gardner publicou A Bruzaria Hoje, apoiado na teoria de Murray de que a bruxaria era o resquício sobrevivete doa ntigo paganísmo europeu. O livro de Gerald Gardner deu origem a diversos conciliábulos por toda a Inglaterra.

O último livro de Gardner foi O Significado da Bruxaria, em 1959. Ele conheceu e iniciou Raymond Buckland em 1963, logo antes de zarpar para o Líbano para passar o inverno. Morreu no navio durante a viagem de volta a Inglaterra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *