Loto Fácil Exert Profissional

AS MÚSICAS QUE FIZ PRA NOZES

SuedHead - Análise da Música

Suedhead é o primeiro single que Morrisey lançou seis meses após a dissolução definitiva dos Smiths, em 1988. Esse que é considerado por muitos o maior sucesso de sua carreira solo, sendo que foi produzido em conjunto com o guitarrista Stephen Street, que a princípio contratado para substituir Jonny Marrs, e posteriormente se tornou parceiro de Morrissey nas suas composições.

Muitos confundem essa música como uma obra da discografia dos Smiths, devido a sua sonoridade, muito semelhante ao que foi produzido por essa banda, aproximando muito o início da carreira solo de Morrisey ao final da carreira dos Smiths. Posteriormente o single foi incluído no álbum viva rate de 1989, o primeiro LP da carreira de Morrisey.

Assim fica a pergunta, será que o fim dos Smiths já tinha a marca da musicalidade que Morrisey queria dar a banda ou o início da carreira de Morrisey ainda sofria a influência da sonoridade criada por John Marrs?
Sabe-se que um dos motivos de Marrs sair dos Smiths foi a insistência de Morrisey de manter o mesmo padrão sonoro, enquanto esse queria impor um ritmo mais pesado a banda.

Mais o que significa Suedhead?

Bom, Suedhead literalmente significa cabeça de camurça, mais na verdade trata-se de uma dissidência do movimento skinhead, ex-integrantes dos cabeças raspadas que deixavam o cabelo crescer. Onde a sensação de passar a mão em uma cabeça em que o cabelo está crescendo é semelhante a camurça.

Dizem que Morrisey escolheu o título por influência de um livro de um de seus autores preferidos, Richard Allen. No livro o autor relata a trajetória de um ex-skinhead, Joe Hawkins. Muito provavelmente, Morrisey estava lendo essa obra no momento em que compôs a música.

Mais o que um suedhead tem a ver com o tema da música? A meu entender, nada. A música fala de um relacionamento abusivo, de uma pessoa invasiva, que fica assediando o objeto de seu desejo, no caso, o poderia ser o próprio Morrisey. Em entrevista posterior o autor disse que a obra lhe parecia bastante fraca e que apenas gostava no título. Muitos críticos acham que Morrissey é simpatizante do movimento suedhead, mais isso é apenas especulação.

Existe a possibilidade de o tema da música ter sido inspirado em algum trecho da obra, nas desventuras do personagem. Mais isso tambêm parece pouco provável.

Ao que parece, Morrisey está mandando um recado para alguém, um recado bem duro, usando até a expressão, estou enojado e eu lamento muito essa sua atitude.

No final Morrisey reduz a conversa a expressão fomos bons na cama, numa interpretação livre da e aportuguesada da frase usada. Ou tivemos uma boa transa. Alias essa canção é considerada uma das músicas que possuem palavrão em sua letra.

Assista o vídeo clip original, onde nas cenas Morrissey faz uma homenagem ao seu ídolo James Dean:

Recomendação de livro:

Parte de nossa análise foi baseada no livro Mozpedia de Simon Goddard, uma obra muito ilustrativa sobre a carreira de Morrisey, disposta em forma de dicionário.

Ouça ou compre boas músicas nos serviçso de abaixo:

Ouça boas músicas na Amazon Compre boas músicas na Apple Music OUça boas músicas no Deezer Ouça boas músicas no Google Play ImmubOuça músicas alternativas no Palco MP3 Ouça artístas alternativos no SounCloud Ouça Boas Músicas no Spotfy Ouça Rádios no Tunein Ouça Tudo no Youtube


Copyright © 2018-2019 @ Heitich Media Digital